Como Garantir a Precisão do Cálculo do Benefício Previdenciário?
HOMEM APONTANDO PARA TELA DE COMPUTADOR COM CANETA

Como Garantir a Precisão do Cálculo do Benefício Previdenciário?

Uma das tarefas, na área previdenciária, que exige muita atenção aos detalhes previstos na legislação em vigor é o cálculo do valor do benefício do seu cliente.

Em uma liquidação de sentença de sucesso, apresentar um trabalho profissional, minucioso e técnico impulsionará o processo de reconhecimento do benefício e, também, agregará valor ao seu trabalho.

O INSS tem parâmetros próprios para definir o valor ao qual o trabalhador terá direito no decorrer destes processos. Porém, muitas são as ocasiões em que o montante alcançado não satisfaz o seu cliente, pois se há perdido uma quantia a mais que deveria ser ganha.

Portanto, apresentar cálculos precisos e coerentes, é uma estratégia para garantir os direitos do servidor, bem como sua satisfação com a quantia do benefício.

Na elaboração do cálculo, passamos a avaliar individualmente cada vínculo (período normal e período especial) bem como seu tempo de contribuição e, ao fim, a totalidade do período, em que são consideradas as informações demonstradas na CTPS, PPP, e CNIS, a fim de chegar a um valor justo e satisfatório para o cliente.

 

Um detalhe importante sobre a análise da CTPS no cálculo do benefício do seu cliente

Analisar cada vínculo empregatício que consta na CTPS do trabalhador é fundamental para não correr o risco prejudicar o seu cliente. Pois, alguns profissionais, por comodidade ou desconhecimento, fazem uso de programas e softwares, para calcular o valor do benefício, e incluem neste apenas os lançamentos que constam no CNIS.

Porém, há casos em que períodos laborados sob condições normais ou insalubres não estão lançados no CNIS. Fato que, não sendo considerado, ocasionará um ônus no benefício devido ao seu cliente.

Em um dos casos (que é bastante comum) que atendemos recentemente, revisamos o benefício de um cliente que recebera o valor de R$ 3.223,99 de benefício por meio de um cálculo que considerou apenas os lançamentos do CNIS.

Mas em atenta análise à CTPS e aos lançamentos do CNIS deste beneficiário, fizemos nova apuração de valores e chegamos à devida quantia de R$ 4.215,24 de benefício para o cliente.

Constatamos que esta diferença se refere a períodos não lançados no CNIS e, consequentemente, não considerados no cálculo anterior.

Dito isto, podemos concluir que apresentar cálculos precisos e coerentes, é uma estratégia para garantir os direitos do cliente, bem como sua satisfação com a quantia do benefício.